top of page
  • Foto do escritorFernanda Aoki

paixão com cristo




Hoje Deus nos convida a olharmos para a paixão de um ângulo novo. Tente olhar não só para Jesus onde estamos acostumados a olhar nessa paixão; As vezes até vivemos esse dia com dó de Jesus, como se fosse alguém que gostamos muito e lembramos as dores, com aquela admiração assustada e um tanto distante. Olhamos fixos para a cruz e nos esquecemos dos demais personagens,


Hoje gostaria de te convidar a ampliar o foco e pensar em três personagens principais: O PAI, O FILHO E VOCÊ. Você já imaginou a dor do pai enquanto o filho vivia todo aquele sofrimento? Eu penso que antes de Jesus vir para a Terra já estava tudo combinado. Mas imagina como ficou o coração dele quando ouviu: Pai, se for possível afasta de mim esse cálice. Se fôssemos nós, iríamos correndo tirar ele dali. Se quando preparamos um filho para apresentação da escola, ele começa a chorar, já queremos correr para tirá-lo dali, quem dirá como ficou o coração do pai sabendo toda dor que o filho passaria, e ainda tendo que assumir que aquela era a sua vontade?


Podemos pensar, mas porque ele não livrou Jesus, se nós que temos tantas imperfeições livraríamos, por que ele não agiu ali? Tem algo que precisamos conhecer do CARÁTER DE DEUS: Sempre que eu ouvia a história de Abraão pensava, não acredito que Deus testou dessa forma Abraão... Mas depois entendi que Deus é onisciente, ele não testou Abraão para ver se ele o amava, se ele realmente entregaria seu filho. Ele já sabia disso! Ele fez isso para que Abraão conhecesse e provasse o caráter de Deus, que não precisava ter medo de nada que Deus pedisse para ele entregar, porque Deus era amor, o melhor amigo dele. Era para que Abraão provasse do caráter de Deus e para que nós soubéssemos que se era um absurdo Abraão entregar o filho, Ele sim era o Deus do absurdo e faria isso por cada um de nós! Quando achamos que Deus está nos pedindo que entreguemos algo, na verdade é Ele que está se entregando primeiro. Andre Fernandes diz que “DEUS ESCOLHEU VIVER A DOR DE PERDER UM FILHO, PARA QUE NÓS NUNCA MAIS SENTISSEMOS A DOR DA AUSÊNCIA DE UM PAI” .


Aqui nós entramos em cena, tudo isso foi feito por nós, tem sido feito por nós...todos os dias.


Quando nós sofremos, Deus sofre em dobro. Olhe para a cena do olhar do pai, diante da dor do filho. É assim que Deus sente. E porque Deus não livrou Jesus? Porque em alguns momentos não vivemos milagres, se sabemos que ele é o mesmo Deus, Deus de milagres? Disseram para Jesus quando ele estava na cruz “ não era você que fazia milagres, faça um agora e tira você mesmo dessa cruz”. E aqui Deus nos ensina outro princípio O PROPÓSITO É MUITO MAIOR QUE O MILAGRE. O milagre é uma intervenção de Deus na realidade; o propósito é o plano dele para a realidade. O milagre é para uma pessoa,o propósito é para gerações.


E QUAL FOI O MAIOR PROPÓSITO DA CRUZ? NOS RELIGAR AO PAI! ESSE É O MAIOR PROPOSITO DE DEUS PARA NÓS: NOS RELACIONARMOS COM ELE.


Por isso, Deus só não fará um milagre para te libertar de algo, quando ele tiver um propósito maior ali. Uma vez ouvi uma história de um pai que o filho tinha uma deficiência na perna e tinha que fazer uma fisioterapia muito dolorida e ele tinha que ficar chamando "filho vem", para que o filho caminhasse, mas o filho levantava o bracinho e chorava pedindo para o pai tirá-lo dali! Com certeza isso era tudo que o pai queria, mas ele sabia que se não passasse por aquilo, ele nunca andaria. O PAI enxerga os propósitos. Não é verdade que Deus quer que a gente sofra. Ele é pai e é amor... Mas Deus não vê só o presente, ele vê o passado, o presente e o futuro. Temos olhado para apenas um fragmento da cena: Olhamos para cruz como sofrimento- Deus vê como transformação, nós vemos como Morte e Deus vê a ressurreição, nós vemos o deserto, Ele vê a terra da promessa.


Ousemos olhar com os olhos de Deus, e aí nesse dia nos sentiremos tão tão tão amados, que sejamos impulsionados a viver essa entrega junto com Jesus, sem medo. Não baseado em nossas sensações, em nossa vista, mas na fé e confiança no caráter do pai. Quando Jesus gritou “ Meu Deus, Meu Deus, por que me abandonastes?” Ele ali sentiu o que toda a humanidade sentia antes dele, a ausência de um pai. Ele experimentou a dor da orfandade, de estar separado do Pai. Mas sua fala seguinte foi “ Em tuas mãos entrego o meu espírito” Mas ele não tinha sido abandonado? Como se entrega nas mãos de Deus, se achava que estava sozinho ali? Esse é o passo da fé. Não era pelo que Jesus sentia, mas era porque conhecia o caráter do pai.


Entreguemos nosso espírito em suas mãos, entreguemos tudo que somos, e não tenhamos medo da cruz. SOFRIMENTO EM DEUS É CONTRARIO DE PRAZER E PARTE DO CAMINHO PARA A FELICIDADE. Porque é exercício! Alguém já malhou sem sentir dor? Dor não é objetivo, é parte do processo. Pergunte para uma mulher sobre as dores do parto. Mas porque ela não desiste? Porque ela não teme? Porque ela entende o propósito. A própria ciência aponta que nosso maior pico de felicidade não se dá quando estamos na praia, ou comendo algo prazeroso, mas se dá quando conseguimos superar um problema. A felicidade vem da transformação.


Olhe para suas dores, se elas não tem um propósito não fazem parte de nenhum processo, provavelmente você está vivendo a ausência da graça. Está desligado da sua essência e de Deus. Mas se ela tem um propósito saiba que vem coisas incríveis dali. Não tenha medo entregue-se! Jesus disse pegue sua cruz e me siga. E Muitos de nós nessa hora queremos pegar nosso banquinho e sair de mansinho... Na hora do milagre achamos o máximo, na hora da cruz queremos dar no pé. E se sentimos assim, é porque ainda não conhecemos o caráter de Deus. Ele não disse isso no intuito de que estaria nos dando um presente de grego. A própria palavra diz sobre quão incrível é o que Deus tem para nós. Jesus diz isso porque ele entende cruz como o caminho para te ligar ao pai, como a porta para viver todo plano de Deus para humanidade. Para não vivermos apenas o milagre, mas para sermos o milagre.


Pilatos não era contra Jesus, mas não pôde se entregar para Jesus, imagina como a história seria outra se Ele se rendesse a Jesus ali? Não a história de Jesus, porque esse era o plano de Deus. A historia de Pilatos, ele transformaria gerações, como alguns reis da bíblia que diante da fé de alguns, eles se converteram e abençoaram nações. Mas Pilatos estava diante do próprio Deus e não conseguiu se render, estava preso em seu status, seu cargo, seu medo. Quando Deus nos pede que entreguemos algo é porque ele tem planos ainda maiores. Foi por Isaque, quando Abraão o entrega para Deus que veio toda a descendência de Abraão. Foi pela morte de Jesus que todos nós ganhamos vida em abundância. Que sejamos como Paulo que quando passava por uma adversidade, quando percebia a cruz já começava a celebrar porque sabia que vinha graças e graças.


Vitor Azevedo diz Jesus carregou a cruz por um dia, se você está carregando sua cruz por muito tempo, é porque você ainda não aceitou morrer. Ainda não se entregou para viver a transformação de Deus. Hoje entreguemo-nos junto com ele. Nos braços do pai. É como uma semente que se quiser proteger a casca: o ego, nunca chega a se tornar a árvore que está dentro dela. E quando é propósito de Deus é muito maior, não é só sobre aquela árvore apenas, mas a floresta inteira que virá através dela. Rasgue a casca, não temas! Quando damos esse passo de fé, viveremos tudo que Deus tem para nós!


Não olhe de fora, não viva a paixão de Cristo , Viva com Cristo! Sejamos verdadeiros cristãos, não para sermos bons, mas para usufruirmos de tudo que Jesus liberou para nós!Viva essa paixão! Conheça o caráter de Deus! Entregue-se: não ao vazio, à dor, mas às mãos do pai!

Fernanda Aoki


205 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo

Vaza-se

Comments


bottom of page